terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Um paulistano longe de casa

Esse blog nasceu com o objetivo de mostrar um pouco meu olhar sobre São Paulo. Eu havia me mudado pra lá e o resto é só ler nos arquivos.

Fica aqui minha homenagem ao aniversário da cidade. Foi aí que tudo comecei!




O Pérola Byington fica na Brigadeiro Luiz Antônio. Meu primeiro rolê pela capital foi até a esquina com a Paulista. Foi só subir a avenida! Moravamos lá quando nasci. E pra lá voltamos. O mesmo prédio, a mesma vista. Da janela a Igreja Imaculada Conceição, nos idos de 1980, também colégio. O meu pai, Cabrera, trabalhava lá e minha mãe, Nina Rosa, morava no Noções Unidas. Do mais, é muita história veridica e das boas!! Sim, pra lá voltamos depois de virarmos "gente grande"! É estranhamente curioso como me sinto bem vivendo naquela região. Deve ser aquele lance de voltar às raízes. A maioria das histórias contadas por meus pais foram de boas lembranças, de experiências que são enredo para uma história muito bonita, com suas dificuldades e muita felicidade.



E pra lá voltarei para continuar meus capítulos dentro dessa loucura toda da metrópole, terceira maior cidade do mundo. É São Paulo, por enquanto parabéns pelos 457 anos. Mas me aguarde, que no 458º beberei uma por você em solo paulistano!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Consciência do tempo

A vantagem de chegar em um lugar totalmente novo é exatamente essa, tudo é novo! Não falo apenas de idioma, etnias e mão de trânsito invertida. Mas de arquitetura, de geografia, de história.
Logo na primeira semana, passei por alguns lugares bem interessantes. Antes de chegar na casa do meu primo passamos no Lancing College (http://www.lancingcollege.co.uk/), na cidade onde moro, um colégio de construções bem antigas e que chamam bastante a atenção. Já da estrada é possível ver a igreja (imponente) do colégio.



O interior dela corresponde exatamente à expectativa criada ao vê-la por fora. Ao entrar, é possível perder a noção do tempo: muito silêncio, nenhum movimento, nenhuma pessoa. O altar, os vitrais e as imagens tomam o seu tempo sem que você perceba.

Ta bom, tá torto. Mas não se apeguem a isso.

E quando acabo de olhar tudo, ao me virar para sair, meu primo me chama a atenção para a surpresa final. Um órgão de tubos e o vitral acima dele que são de cair o queixo. Foi para finalizar a visita em grande estilo! Pela primeira vez achei o fundo de uma igreja mais bonito que o altar.





Eu cheguei numa quarta-feira (03/11/2010), no domingo (07) continuamos o tour pela região, dessa vez rumo a Arundel, município que abriga um castelo que começou a ser construído no ano de 1068. O castelo de Arundel (http://www.arundelcastle.org/) é um dos diversos castelos distribuídos pela Inglaterra. Infelizmente não foi possível visitá-lo, ele só fica aberto à visitação por um período determinado. Os ingressos custam entre 7,50 libras - algo em torno de R$20 e 16 libras - uns R$ 44. Mas olha-lo de longe e o rolê pelo parque bem ao lado do castelo já valem.


Esses primeiros contatos com construções tão antigas tem sido muito interessante. Comparar, por exemplo, a idade de um castelo que está bem a sua frente com a do seu país e imaginar que aquela estrutura tem centenas de anos a mais, me levaram a ter consciência de como o Brasil é realmente novo!

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Novidades das antigas

Depois que comecei a trabalhar com assessoria de imprensa, ainda morando em São Paulo, tentei manter esse espaço atualizado, em vão. Quando tomei a decisão de vir para a Inglaterra, um dos meus propósitos era de retomar o blog para manter as novidades em dia e falar sobre tudo que estava por vir. Hoje fazem exatos 2 meses e 9 dias que estou em terras européias e, como pode-se perceber, não coloquei em prática meus planos bloguisticos. Mas como aqui não precisa registrar o ponto e eu também não ganho por hora quando escrevo, vou à tentativa de colocar algo de novo, de novo.

Pra começar, um videozinho que fiz (bem primário) enquanto aguardava meu vôo de Madri para Londres. A ideia era fazer pequenas gravações contando os acontecidos. Esse projeto foi extenso, 2 vídeos para ser exato, rs. Eis o primeiro:

video

Passar (mesmo que por mais ou menos 2 horas) por Madri me fez muito bem! O sol e o visual do aeroporto causaram uma ótima sensação de Boas-vindas em território europeu. Algo que me chamou atenção foi o quanto o aeroporto estava vazio. Não sei se era uma ala menos movimentada mesmo, se era pelo horário ou sei lá o que. E também não sei se pode ter ou não alguma relação, mas as orações dos homens que relato no vídeo davam a impressão que eles davam boas vindas ao dia que estava nascendo. Do jeito que o dia rasgava com um sol que poucas vezes eu ví, se for uma grande viagem da minha mente "brilhante", pelo menos pensar assim também me proporcionou um bem estar.

Depois disso embarquei para Londres, mal acompanhei a decolagem e logo dormi, para só acordar com os avisos de aterrissagem no aeroporto de Heathrow. Se o aeroporto de Guarulhos é o que temos de melhor no Brasil, estamos ferrados. Mas isso é assunto pra outra hora.