sábado, 15 de maio de 2010

O cliente em primeiro lugar! Alguém pode me dizer onde?

Sexta-feira entrei no banco pra pagar contas. Retirei minha senha, sentei numa cadeira e fiquei esperando. Achei que ia ser rápido, já que eram só três pessoas na minha frente e dois caixas atendendo. Claro que não foi... Quando chegou minha vez, chegaram 4 idosos que tiveram a preferência. Até aí, tudo em ordem, acho totalmente justo. Mas o bom senso não existe em bancos e eles não tiveram o trabalho de colocar mais um caixa para atender os demais - mesmo porque, depois de mim e antes dos idosos, chegaram outros clientes e a fila estava maior. Olhei no papel da minha senha e tinha o horario em que eu havia retirado. Fiz as contas e já tinham passado 20 minutos. Olhei perto da maquina onde retiramos a senha e vi um recado. Fui ler. "Informamos que 20 minutos é o tempo estimado de atendimento em dias comum, isto é, nos dias que não são de pagamento, vespera de feriado, ausência de luz e telefonia. Agradecemos sua compreesão". Quando lí aquilo, na hora me lembrei da ótima lei (ótima mesmo, sem ironias) em favor dos clientes, que diz que devemos ser atendidos dentro do prazo de 15 minutos, independente do movimento, do dia, do sol, da chuva, da lua... Fui atendido aos 23, pra ser exato. No caixa, paguei o que devia pagar e com a maior educação perguntei ao funcionário sobre o aviso. Falei pra ele que é incorreto, já que a lei está em favor dos clientes e que devemos ser atendidos em 15 minutos, "entendo que você está fazendo seu trabalho e que o gerente deveria liberar mais caixas, mas só pra registrar, fui atendido além desse tempo". Apenas pra lembrar e pra concondar com o aviso em questão, era um dia comum, com sol, energia elétrica... Não aguentei. Cheguei em casa e liguei pro Procon (11-151). Contei o que havia acontecido tranquilamente, sem estresse, apenas fazendo valer os direitos de qualquer cidadão comum. E sabe o que eu descobri? ESSA QUESTÃO DOS 15 MINUTOS CAIU!!! Alguém sabia? Eu não... Sim senhores, o país anda pra trás!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Fotojornalismo no Brasil: Como falar de flores quando se tem sangue.

Na onda do fotojornalismo, conforme prometido segue o vídeo produzido como parte do Trabalho de Conclusão de Curso da faculdade. Para aqueles que gostam de fotografia, uma boa oportunidade de conhecer pessoas do ramo falando sobre o assunto. Para aqueles que não gostam, uma ótima oportunidade para aprender a gostar! Sentem-se, peguem a pipoca, assistam e fiquem à vontade!
Parte I

video

Parte II

video

segunda-feira, 10 de maio de 2010



Na minha opinião, o poder de informação de uma fotografia é inquestionável, tanto que o Trabalho de Conclusão de Curso do meu grupo, na faculdade, teve como tema o fotojornalismo (tem vídeo no youtube, em breve irei postá-los aqui - Fotojornalismo no Brasil). Um exemplo desse poder é essa imagem que segue, feita pelo fotógrafo Sidnei Costa, de nome "Mão Salvadora".





Essa é uma das 80 fotografias, dos 67 repórteres fotográficos, em exposição no Conjunto Nacional (http://www.ccn.com.br/) até o dia 15 deste mês (tá acabando!). Algumas coisas interessantes: 1-de graça; 2-o Conjunto Nacional fecha todos os dias às 21h. Dá pra passar conhecer os trabalhos depois do expediente tranquilamente, uma boa maneira de desacelerar a correria do dia-dia.


A mostra “Retrospectiva 2009 – 5ª Mostra Anual de Fotojornalismo”, foi organizada pela Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos no Estado de São Paulo (Arfoc-SP). Passem por lá, o Conjunto Nacional fica na Paulista - 2.073. Vale a pena!